PreservaSP

PreservaSP => SOS Quarteirão do Itaim => : Tatiane Cornetti 13/July/2011, 08:09:16 AM



: Promotor promete ação civil contra venda de terreno no Itaim
: Tatiane Cornetti 13/July/2011, 08:09:16 AM
Promotor promete ação civil contra venda de terreno no Itaim
Para MP, Justiça é único caminho, pois Prefeitura está 'irredutível' e ignora dano ambiental que
mudança causará à área

Fábio Mazzitelli - O Estado de S.Paulo

A Promotoria do Meio Ambiente da capital deve levar à Justiça o debate em torno do quarteirão do Itaim-Bibi, na zona sul, que a Prefeitura pretende vender para a iniciativa privada em troca da construção de creches.

Responsável pelo inquérito civil aberto no Ministério Público após representação da associação de moradores do bairro, o promotor Washington Lincoln de Assis afirmou ontem que não vê outra alternativa a não ser ingressar com uma ação civil pública para tentar interromper o projeto de alienação da área.

Para o promotor, a gestão do prefeito Gilberto Kassab (sem partido) adotou uma posição irredutível sobre o assunto e está ignorando os danos ambientais que a mudança levará ao terreno e, consequentemente, ao bairro. Ele destaca que boa parte do terreno público de 20 mil metros quadrados é de área permeável.

Nesse quarteirão - delimitado pelas Ruas Horácio Lafer, Salvador Cardoso, Cojuba e Lopes Neto - funcionam hoje oito equipamentos públicos, cercados por área verde: uma creche, uma pré-escola, uma escola, um posto de saúde, um Centro de Atenção Psicossocial (Caps), um teatro, uma biblioteca e uma unidade da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae).

Com exceção da Apae, a gestão de Kassab pretende reconstruir todos os outros sete prédios em um espaço reduzido que variaria de 25% a 40% dos 20 mil metros quadrados da área total.

"Não vejo outra solução (ação civil pública), já que a Prefeitura é irredutível em permutar a área. Estivemos com o secretário municipal Marcos Cintra (Desenvolvimento Econômico) e conversamos sobre o assunto, mas a Prefeitura vai levar adiante o projeto. Vamos tentar o Judiciário", afirma o promotor, que vê prejuízos ao interesse público.

"A alegação (da Prefeitura) é a de que não tem terreno ou espaço para construir creches. Quando a Prefeitura quer, arranja. Ela pode, se fizer licitações corretas e dentro dos preços de mercado, rapidamente instalar creches na cidade, desde que faça as coisas com eficiência, que é o dever da administração pública", diz Washington Lincoln de Assis.

Prazo. O promotor só deve acionar o Judiciário após a sanção da lei, o que deve ocorrer neste mês. A gestão Kassab não quis comentar ontem a posição da Promotoria do Meio Ambiente.

Em abril, um recurso da Prefeitura para impedir o prosseguimento do inquérito civil na mesma Promotoria do Meio Ambiente foi negado pelo Conselho Superior do Ministério Público.

Além deste, há outro procedimento aberto sobre a venda do quarteirão na Promotoria do Patrimônio Público e Social.

(http://i247.photobucket.com/albums/gg124/tatianecornetti/Noticias/metro222.jpg)



Publicado no Estadão - 07/07/2011
http://www.estadao.com.br/estadaodehoje/20110707/not_imp741614,0.php


Sorry, the copyright must be in the template.
Please notify this forum's administrator that this site is missing the copyright message for SMF so they can rectify the situation. Display of copyright is a legal requirement. For more information on this please visit the Simple Machines website.