PreservaSP
15/Agosto/2020, 02:23:05 pm *
Bem-vindo, Visitante. Por favor faça o Login ou Registe-se.

Login com nome de usuário, senha e duração da sessão
Notícias:


Abaixo-assinado pela criação do Parque de Pinheiros, o 1o. do bairro! Assine e divulgue!


 
   Home   Ajuda Pesquisa Calendário Login Registre-se  
Páginas: [1]   Ir para o Fundo
  Imprimir  
Autor Tópico: Revista da Folha: Ponte Nova York/São Paulo  (Lida 1698 vezes)
0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.
Tatiane Cornetti
Administrator
Membro Master
*****

Karma: 0
Offline Offline

Mensagens: 646


Ver Perfil Email
« : 10/Janeiro/2010, 09:16:21 am »

Revista da Folha:
Ponte Nova York/São Paulo
por Fernando Rocha



É de cinema. Tudo parece filme e, pensando bem, talvez seja mesmo. Nova York é uma cidade que funciona; é limpa, cheia de elegância e de tudo mais que todo mundo já sabe.

Mas quem mora em São Paulo e chega nessa esquina do mundo, na capital do planeta Terra, inevitavelmente acaba fazendo comparações entre as duas cidades.

Uma delas é entre o Central Park e o parque Ibirapuera. Além de ter o dobro do tamanho do nosso e de não ter grades, não é exagero dizer que no quesito charme os dois teriam um empate técnico.

E assim, caminhando por Nova York (e sempre caminhando, porque carro lá é absolutamente desnecessário), eu fui descobrindo São Paulo! Fui me lembrando da gentileza urbana que por aqui é tão genuína. Experimente dar um bom dia para alguém nas ruas da Pauliceia. É praticamente impossível ficar sem resposta (eu já fiz esse teste).

Em Nova York, não é bem assim. O conceito de educação se resume a duas palavrinhas: "Sorry" (desculpe) e "Excuse-me" (com licença). O resto é silêncio. O "hello" de lá não é o mesmo que o olá daqui.

Nada faz tanta diferença quanto as bancas de revistas: esse oásis urbano de Sampa, que mistura no mesmo espaço informação, cartão telefônico, postais, pilhas, cigarros e balas. Não vi em minhas andanças por Nova York nenhuma banca como as que existem na avenida Paulista.

Foi na metrópole americana que tive certeza de que essa sensação de orgulho que paira sobre mim quando passeio na Paulista é plenamente justificável. A liberalidade e a divisão de espaço entre quem anda de mãos dadas ou quem desliza de skate ou patins são detalhes que fazem da Paulista um lugar tão único quanto todas aquelas avenidas maravilhosas de lá como as célebres Quinta Avenida, Madison e companhia.

Mas só nas bancas da avenida Paulista é que é possível encontrar Walt Whitman, Jack Kerouac e Machado de Assis na mesma estante, emparelhados com as notícias do dia. Em Nova York, não se compra um livro do John Fante por US$ 6 na banca de revista. Na Paulista, sim. Alta literatura por menos de R$ 12!

Então, para quem nunca foi a Nova York, como eu que a visitei pela primeira vez há alguns meses, fica o meu aviso: a cidade é mesmo linda. Mas a nossa avenida Paulista é muito mais sofisticada e elegante do que a gente imagina!

-----------------------------------------
Fernando Rocha, 42, repórter do "SPTV" da Rede Globo, é o colunista convidado desta edição.



Publicado na Folha de São Paulo (10/01/2010)
http://www1.folha.uol.com.br/revista/rf1001201004.htm

Registrado
Páginas: [1]   Ir para o Topo
  Imprimir  
 
Ir para:  

Powered by MySQL Powered by PHP Powered by SMF 1.1.4 | SMF © 2006, Simple Machines LLC XHTML 1.0 Válido! CSS Válido!