PreservaSP
30/Abril/2017, 09:52:02 *
Bem-vindo, Visitante. Por favor faça o Login ou Registe-se.

Login com nome de usuário, senha e duração da sessão
Notícias:


Abaixo-assinado pela criação do Parque de Pinheiros, o 1o. do bairro! Assine e divulgue!


 
   Home   Ajuda Pesquisa Calendário Login Registre-se  
Páginas: [1]   Ir para o Fundo
  Imprimir  
Autor Tópico: Governo Haddad mostra a que veio  (Lida 2104 vezes)
0 Membros e 1 Visitante estão vendo este tópico.
Jorge
Administrator
Membro
*****

Karma: 0
Offline Offline

Mensagens: 134


Ver Perfil WWW
« : 02/Setembro/2014, 05:49:12 »

Nota oficial da Associação Preserva São Paulo

Prefeitura mostra a que veio



A Associação Preserva São Paulo vem manifestar seu repúdio a mais uma decisão do Prefeito de São Paulo lesiva à preservação da arquitetura e ao meio ambiente da cidade. Após o Plano Diretor, que entre outras medidas contrárias ao interesse público e à qualidade de vida na cidade, liberou a construção de edifícios de mais de 40 andares numa faixa de até 600 metros das estações de metrô – como Vila Madalena, Itaquera, Butantã, etc. (ainda que esses locais não comportem novas construções desse porte), agora a prefeitura resolve acabar com a chamada área de entorno dos imóveis tombados, situada num raio de 300 metros desses imóveis protegidos e que é essencial para a preservação da qualidade da paisagem e do ambiente urbano em que tais imóveis estão inseridos, e para que possam ser devidamente apreciados e valorizados.

A área de entorno constitui uma zona de transição onde a construção de novos prédios não é proibida, mas controlada, evitando que tais bens sejam engolidos por uma verticalização desordenada, e portanto representava um dos últimos obstáculos ao domínio absoluto que a especulação imobiliária exerce sobre a cidade, especulação imobiliária essa que não por acaso é a principal doadora das campanhas eleitorais de todos os principais partidos. Com mais esse ato, a atual administração dissipa quaisquer esperanças de que representasse uma mudança em relação aos governos anteriores, comprovando novamente que no atual regime, os doadores de campanha contam mais do que os próprios eleitores, independente do partido no poder.

A submissão da atual prefeitura aos interesses da especulação imobiliária se reflete em todos os aspectos da administração, inclusive no desmonte dos órgãos municipais de preservação do patrimônio (DPH e Conpresp), que atualmente se encontram desmoralizados e paralisados, tal como seus congêneres estadual (Condephaat) e federal (Iphan de São Paulo). Com suas reiteradas demonstrações de capitulação aos interesses da especulação imobiliária mais predatória, a atual gestão acaba diferindo pouco ou nada das anteriores, frustrando o desejo da população por mudanças reais na administração pública.

A preservação do meio ambiente e do patrimônio histórico, bem como praticamente todas as questões que afetam o nosso dia a dia, infelizmente, não podem ser dissociadas da questão política no atual regime político em que vivemos. A Associação Preserva São Paulo, como entidade apartidária, não apregoa o voto em qualquer candidato ou partido político. Porém, fazemos um apelo para que na escolha dos candidatos desta e das próximas eleições, os eleitores procurem saber quem são os financiadores das campanhas e dos partidos.
« Última modificação: 04/Setembro/2014, 08:37:34 por Jorge » Registrado
Páginas: [1]   Ir para o Topo
  Imprimir  
 
Ir para:  

Powered by MySQL Powered by PHP Powered by SMF 1.1.4 | SMF © 2006, Simple Machines LLC XHTML 1.0 Válido! CSS Válido!